TIE-Brasil
18/12/2017
Cadastre-se | Esqueci a senha!
Nome: Senha:

Notícias(Dezembro/2011)

(clique para ver todas)

Lei equipara trabalho a distância a presencial e inclui meios eletrônicos nas relações trabalhistas
Do Blog do Planalto
Ligações telefônicas, mensagens no celular e e-mail passam a ser considerados formas de subordinação ao empregador. Foto: Antonio Cruz/ABr/Arquivo

Empregadores devem ficar atentos ao enviar mensagens no celular e e-mail ou fazer ligações telefônicas a seus empregados fora do horário e local de trabalho. Lei sancionada no último dia 15 de dezembro pela presidenta Dilma Rousseff, que altera o artigo 6o da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), equipara os efeitos jurídicos da subordinação exercida por meios eletrônicos à exercida por meios pessoais e diretos no trabalho.

A Lei 12.551/2011 também assegura as mesmas garantias ao trabalho executado no domicílio do empregado e o realizado a distância ao que ocorre no estabelecimento do empregador. A condição é que estejam caracterizados os pressupostos da relação de emprego.

O texto afirma ainda que "os meios telemáticos e informatizados de comando, controle e supervisão se equiparam, para fins de subordinação jurídica, aos meios pessoais e diretos de comando, controle e supervisão do trabalho alheio”.

André Grandizoli, secretário-adjunto de Relações do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), explica que a medida representa o ajuste da legislação ao avanço da tecnologia. Para ele, a lei pode ser vista como “uma evolução, por reconhecer um tipo de trabalho que já ocorre, o chamado teletrabalho”.

“A modernidade chegou e a legislação acaba de se integrar a essa modernidade”, disse.
Na visão do secretário-adjunto, com as mudanças, não importa mais o local de trabalho, mas se o trabalhador executa a tarefa determinada pela empresa. Ele destaca ainda que pretende-se com esse dispositivo que o tempo do trabalhador em função do empregador seja reconhecido, independentemente do meio utilizado ou da presença física na empresa.

“Se o trabalhador estiver à disposição do empregador fora do local de trabalho, por meio telemático, ele deve receber horas extras”, destacou.

Enviada por Cido Araújo, às 16:27 30/12/2011, de São Paulo, SP


Blogueir@s, Redes Sociais e Cultura Digital discutem atividades para 2012
Do

Blogueir@s, ativistas nas Redes Sociais e Cultura Digital se reuniram na noite de 27 de dezembro no Centro de Curitiba para comemorar um ano de muitas vitórias do nosso movimento e planejar as atividades para o próximo ano.

Entre uma cervejinha brasileira e uma vodca russa, entre uma piada e um assunto sério, os mais de 20 participantes listaram os desafios que nos esperam nos próximos anos e chegaram à algumas conclusões.

Em 2012 teremos III Encontro Nacional, nos dias 25, 26 e 27 de maio, em Salvador, Bahia, e o II Encontro Mundial, nos dia 25, 26 e 27 de outubro, em Foz do Iguaçu, Paraná. A participação dos paranaenses nestes encontros devem ser maiores e massivas, não só como “ouvintes”, mas também na qualidade de organizadores dos mesmos, cujos membros paranaenses das respectivas comissões organizadoras serão indicados pelo Blogueir@s do Paraná.

Muito se discutiu sobre a necessidade de mudança no formato dos encontros de blogueir@s, privilegiando a participação e o protagonismo d@s própri@s blogueir@s, redes sociais e cultura digital, com oficinas, grupos de trabalho, rodas de cultura e lazer que integrem e unifiquem ainda mais @s blogueir@s do estado e do país.

As várias regiões do Paraná se mobilizam para organizar seus encontros regionais como proposto tanto pelas comissões organizadoras Estadual e Nacional dos Encontros de Blogueir@s, como pelos participantes paranaenses do I Encontro Mundial em Foz de Iguaçu, publicado na página de Propostas deste ParanáBlogs.

A comissão organizadora estadual irá dar todo o apoio aos encontros regionais, assim como estará presente nos mesmos, ajudando a circulação de informações e a troca de experiências entre as regiões.

Decidiu-se que serão realizados todos encontros regionais em que houver iniciativa e organização local para tanto. Propõe-se que estes encontros regionais aconteçam no mês de março de 2012 e que em Abril de 2012 realizemos em Foz do Iguaçu o II Encontro de Blogueir@s, Redes Sociais e Cultura Digital no Paraná para que os participantes de cada região possam conhecer seus colegas de outras regiões, trocar informações e experiências e debater uma política de comunicação independente e alternativa para o Paraná e o Brasil.

Os temas sugeridos originalmente em nossa página de Propostas, a saber:

  • Democratização das comunicações: – Como @s blogueir@s podem contribuir concretamente para a Democratização das Comunicações no Brasil?
  • Neutralidade na Rede: – Como o fim da neutralidade da rede poderá prejudicar @s blogueir@s, redes sociais e cultura digital e favorecer grandes portais e empresas na Internet?
  • Situação Regional: - Como @s blogueir@s podem se articular para defender suas propostas de Democratização das Comunicações a partir dos locais onde atuam?
foram reafirmados pelos participantes da reunião, ao mesmo tempo que ressaltaram a necessidade de cada região eleger seus temas específicos de forma democrática, plural, autônoma e descentralizada.

Debatemos e reafirmamos a necessidade do Movimento de Blogueir@s no Paraná manter seu caráter horizontal, amplo, aberto, plural, democrático e independente de partidos políticos, governos, empresas, sindicatos e outros movimentos com quem mantém relações de parceria e cooperação baseadas na autonomia e respeito mútuos.

Aprovamos ainda:

- a realização de uma atividade de apresentação do livro “A Privataria Tucana” com a presença do autor Amaury Ribeiro Jr., além de outras autoridades que investigaram o caso da privatização do Banestado e os esquemas que usaram o banco estatal paranaense para lavagem de dinheiro.

- a publicação de um livro com os melhores posts, artigos, d@s blogueir@s paranaenses em 2011 e o papel da blogosfera nas comunicações no estado e no país.

- participar, apoiar e estimular debates sobre a criação de um Jornal Público Nacional (que não seria nem estatal nem privado, mas mantido pela própria comunidade de jornalistas e blogueir@s que o fundarão) para discutir os grandes temas nacionais e quebrar com a censura privada imposta pelos meios de comunicação comerciais e patronais.

- fazer do ParanáBlogs um agregador de blogs do Paraná.

- apoiar o desenvolvimento e o lançamento do Blogoosfero (prevista para janeiro de 2012).

Enviada por ParanáBlogs, às 03:30 29/12/2011, de Curitiba, PR


Repórteres de ParanaBlogs descobrem fraude em publicação da imprensa inglesa
Os repórteres de ParanaBlogs, numa árdua atividade de investigação jornalística, infiltraram-se nas principais redações inglesas e descobriram que as manchetes de hoje dos principais jornais ingleses, colocando o Brasil como 6a. Economia Mundial, não passa de uma grande mentira internacional, fruto das mentes deturpadas dos aloprados do corrupto esquema comuno-dilmo-lulista que, assim como os tucanos fazem com o PiG no Brasil, cresceu seus tentáculos de molusco para fora do território nacional e envolveu os redatores chefes dos principais impressos do Reino Unido.

Rainha da Inglaterra, em cujo o império o Sol nunca se põe, disse aos nossos investigativos jornalistas que "soube de tal esquema, mas duvidei que fosse verdade, pois como todos sabemos, diferentemente da Europa e de meu querido Reino, o Brasil está na corda bamba, só tem carnaval, futebol e samba, um país idiota, cheio de moleques, onde ainda se toca discoteque".

Ao se questionada se gostava de Garotos Podres, a mandatária inglesa não teve dúvida "Oh! Yes, acabo de escutar aquela maravilhosa canção sobre o bravo cidadão inglês, o Johnny".

Já o primeiro-ministro inglês, James Cameron, declarou que todos os culpados por este esquema fraudulento serão punidos assim como o foi o megaempresário das comunicações Rupert Murdoch, recentemente.

O cineasta canadense David Cameron concordou com seu primo inglês e disse que essa história é um belo roteiro de avatar que será filmado em 5D, a única tecnologia do mundo capaz de filmar o propinoduto do esquema comuno-dilmo-lulista. Infelizmente nossos repórteres não puderam apurar a que subversiva Rede Social o avatar indicado por Cameron estaria ligado.

Com a ajuda de toda a isenção dos colegas que pilotam o programa Manhattan Connection, nossos repórteres puderam apurar que o ano de 2011 foi uma verdadeira catástrofe para o Brasil, que só se salvou graças a visita de FHC à GloboNews, um verdadeiro presente à isenta imprensa nacional e seus valorosos periodistas que não se deixam corromper pelo esquema comuno-dilmo-lulista.

Nossos repórteres seguem na investigação sobre a origem do dinheiro usado na publicação da mentira. Dados preliminares indicam que perigosos agentes dePyongyang visitaram as redações antes da chegada dos arapongas comuno-dilmo-lulistas. Won norte-coreanos foram encontrados nas mesas dos redatores ingleses.

Enviada por ParanaBlogs, às 19:08 26/12/2011, de Curitiba, PR


Economia do Brasil é maior que a Inglaterra e o PiG vai à loucura
Por Josias Gomes

Setores da Grande Imprensa começam a reagir a seu modo (beirando uma certa revolta) à notícia veiculada pelos jornais ingleses de que a Grã-Bretanha foi superada por um país da América do Sul na economia global, no caso, o Brasil.

Chegam a perguntar indignados se São Paulo é igual a Londres. Tentam diminuir o alcance da conquista brasileira questionando a situação da saúde e da educação no país.

Ora, caras pálidas, em primeiro lugar estamos tratando de números absolutamente frios relativos à economia. E, esta vitória, não pode ser negada, isto é, o Brasil é maior economicamente que a Grã-Bretanha.

Por favor reconheçam o que a imprensa inglesa já o fez. A gestão econômica de Lula e Dilma, longe dos parâmetro neoliberais do ex-governo tucano, é vitoriosa.

Não se esqueçam também de assinalar o esforço que vem sendo desenvolvido pelo governo Dilma, na sequência do que fez Lula, para melhorar a gestão da saúde e da educação no Brasil, e os avanços que vêm sendo palmilhados.

Muito pior do que é hoje foi na época de FHC, um acadêmico que não ampliou um palmo qualquer a educação superior pública brasileira. Preferiu deixar crescer o setor privado.

Diferentemente daquela época, Lula apostou, e Dilma também o faz na mesma proporção, no crescimento da oferta de vagas no ensino superior e médio federal, através da construção de grande número de Institutos Federais de Educação e de Universidades pelo país afora.

Por sua vez, a aplicação de recursos na Saúde ganha enorme crescimento com a aprovação da Emenda 29, e novos parâmetros gerenciais paulatinamente adotados. Mas, por favor, não esqueçam também de lembrar o criminoso processo de privatização de nossa economia patrocinado pelo governo tucano, que, se continuado no governo Lula, teria conduzido o país a fácil refém da economia internacional.

A perigosa situação vivida pela economia brasileira em 2002 também é preciso ser lembrada.

Enfim, que foi no governo petista que o Brasil livrou-se definitivamente das amarras do FMI. Mas, pelo bem da verdade, não deixem de apreciar devidamente o avanço da economia brasileira no concerto nacional obtido nos governos Lula e Dilma. O que abre portas para que possamos, com a ajuda de todos, inclusive dos oposicionistas, avançarmos em todos os demais campos de nossa realidade, a fim de que os brasileiros possam tornar realidade o sonho acalentado durante os 500 anos de nossa existência.

Josias Gomes é Deputado Federal Pelo Partido dos Trabalhadores.
Enviada por Dimas Roque, às 14:43 26/12/2011, de via Facebook


Demissões na Anhanguera: Carta aberta ao Ministro da Educação Fernando Haddad

Carta aberta ao Ministro da Educação Fernando Haddad

Exmo. Sr.
Ministro da Educação
Dr. Fernando Haddad

Os Professores demitidos pelo conglomerado Anhanguera Educacional Participações S/A em todo país alertam o sr. para a truculência dedicada aos mestres e doutores com a demissão em massa e o aviltamento de salários como práticas recorrentes da referida instituição.

Professores qualificam-se com titulação de mestres e doutores e são penalizados exatamente porque estudam.

Esse é o exemplo que o Brasil dará aos estudantes?

Que o empenho nos estudos é para ser descartado e apenas aqueles que não procuram aprofundar-se em sua carreira profissional serão premiados?

Será que faremos a exaltação do demérito e não do mérito?

Os empresários do ensino universitário privado imaginam que vivemos no Brasil colonial, em que as elites transitavam impunemente com seus desmandos pelos palácios e eram recebidas em audiência pelo governante de plantão com bajulação ilimitada.

Todavia, o Brasil republicano exige do sr. providências no sentido de impedir a concentração em cartéis e monopólios da educação, pois a educação é direito da cidadania e jamais pode ser transformada em mercadoria, como fazem os barões do ensino.

Exortamos ações efetivas do MEC no sentido de enquadrar o patronato do ensino na legislação, bem como adverti-los sobre suas responsabilidades sociais.

A ganância pode até ser interessante para os negócios.

Mas seu caráter predatório é péssimo para nosso país.

Por exemplo, o ensino a distância transformou-se em fonte bilionária para os donos de escolas, quando deveria ter caráter complementar e, principalmente, ser levado a regiões remotas do país.

Nos centros urbanos, a adoção desse recurso tecnológico tem servido apenas para a demissão em massa de professores e para a conversão das horas/aula presenciais em ensino longínquo, verdadeiro engodo para incautos.

As empresas do ramo zombam da população com suas propagandas enganosas sobre a necessidade imprescindível de incrementar a formação a partir dessa modalidade.

Cursos de formação de professores, de profissionais na área de prestação de serviços, de construção e saúde, tecnológica etc. — fundamentais para nossa sociedade — não podem ser objeto de precariedades resultantes da falta de interação professor-aluno. Afinal, o pedagogo precisa saber ensinar, o médico diagnosticar e curar, entre outras competências e habilidades obrigatórias fornecidas pelo ensino presencial de qualidade.

Ademais, é estranho que o MEC continue a subsidiar com recursos públicos verdadeiras arapucas, mormente aquelas que são reiteradamente reprovadas pelos próprios instrumentos de fiscalização desse Ministério de Educação e Cultura.

A UniABC-Anhanguera chega ao desplante de elaborar a seguinte confissão em seus folhetos publicitários:

Na expectativa do cumprimento de suas atribuições como Ministro de um governo que luta pela inclusão, aguardamos ativamente por suas deliberações a respeito do demandado pela sociedade e dos anseios dos educadores, que merecem ser respeitados e jamais podem ser espezinhados, sob quaisquer pretextos.

Coletivo dos Professores demitidos

Cidadania ativa: mobilização constante garante direitos!

1) Escreva para o MEC
Endereço do MEC

Denúncias e representações relativas à educação superior devem ser encaminhadas por escrito para o Ministério da Educação - Secretaria de Educação Superior - Coordenação Geral de Supervisão da Educação Superior - Esplanada dos Ministérios - Edifício Sede - Sala 300 - Cep: 70047-900 - Brasília – DF, ou pelo Fale Conosco, item "Demais assuntos da Educação Superior".

Palavras-chave: Endereço, Supervisão

http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=13709:endereco&catid=191:sesu Fonte: Truculência e lucros exorbitantes de um monopólio
Enviada por Agenor Beviláqua, às 12:36 26/12/2011, de via Twitter


Fórum Social Temático: Lançamento do site oficial é dia 20 de dezembro!
Enviada por Forum Social Temático 2012, às 18:08 19/12/2011, de Porto Alegre, RS


Fórum Social Temático 2012 - Crise Capitalista, Jutiça social e Ambiental

Convocatória

português - español - english

CONVOCAÇÃO
Fórum Social Temático - Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental
24 a 29 de janeiro de 2012 - Porto Alegre e Região Metropolitana
Preparatório para a Cúpula dos Povos da Rio+20

Os povos se colocam em movimento. Occupy Wall Street se espalha pelos Estados Unidos. Protestos e mobilizações indígenas produzem uma grande efervescência na usualmente tempestuosa região andina. Um nível inusitado de atividade de movimentos de massas atinge até mesmo países conhecidos por sua estabilidade social. Em 15 de outubro tivemos manifestações em quase mil cidades de 82 países.

A indignação com as desigualdades e injustiças políticas e sociais aparece como uma marca comum à maioria destes movimentos que questionam o “sistema” e “poder”, se confronta com sua destrutividade e rompem com a passividade das décadas neoliberais. A política de austeridade promete mais miséria e levam os jovens a se mobilizarem por seu futuro. Em todos os continentes, setores antes apáticos se colocam em movimento de forma pacífica, democrática, pluralista, unitária e autônoma em relação ao poder.

Estes movimentos nascem das necessidades e aspirações do presente, depois de três décadas de globalização neoliberal. São mobilizações portadoras de valores como a empatia pelo sofrimento alheio, a solidariedade, defesa da igualdade, busca de justiça, reconhecimento da diversidade, critica a supremacia do mercado sobre a vida, valorização da natureza – ideias centrais para a urgente reconstrução de um novo mundo possível.

A mensagem é uma só: Precisamos reinventar o mundo. Nenhuma resposta efetiva parece estar emergindo dos poderes estabelecidos. A crise ambiental está sendo ignorada pela ONU e pelos grandes poderes e arrasta a humanidade para um cenário catastrófico. A mercantilização da vida e a apropriação de parcela crescente da biomassa do planeta exerce uma pressão cada vez mais destrutiva sobre os diferentes ecossistemas e reduzem rapidamente a biodiversidade. O agravamento da crise social nas economias centrais e a indignação contra a desigualdade crescente não encontraram nenhuma resposta senão mais privatizações e a defesa dos privilégios por parte de governos e empresas multinacionais. O avanço do extrativismo e a compra de terras continuarão a alimentar as lutas de resistência em defesa da natureza, dos bens comuns e dos modos de vida. Aumenta o número de pessoas que acredita ser impossível enfrentar estas questões separadas de uma resposta global para um sistema cuja crise atinge toda humanidade. Se trata de mudar o sistema para defender 99% da humanidade dos 1% que quer jogar sua crise sobre as costas dos demais. Precisamos reinventar o mundo.

Este parece ser um momento único para resgatarmos o acúmulo do altermundialismo e do Fórum Social Mundial. Avançamos em Belém, em 2009, para a busca de alternativas ao desenvolvimentismo e ao consumismo a partir do terreno socioambiental. Mas agora a luta social é oxigenada e enriquecida pelo movimento em busca de autonomia e controle do poder no mundo árabe e pelas vastas expressões da indignação com o capitalismo financeiro e as corporações na Europa e Estados Unidos. Se outro mundo é possível, o será a partir da convergência destes sujeitos políticos, favorecendo que criem um sentido de propósito comum, identidade e visão de futuro.

Porto Alegre e Região Metropolitana podem, em 2012, ser o ponto de encontro d@s indignad@s, das expressões dos povos originários e dos movimentos anti-sistêmicos de todos os quadrantes, capaz de afirmar uma saída para a crise, construindo as diretrizes e campanhas globais. Mais ainda, isso só será efetivo se conseguirmos afirmar e transmitir um paradigma alternativo de sociedade, se construir um vocabulário comum capaz de articular as demandas difusas de grande parcela das populações. Por ser temático, o FST pode construir uma reflexão estratégica e programática, capaz também de ser apresentada por ocasião da Rio+20 que, em maio e junho de 2012, atrairá multidões para o Rio de Janeiro.

Considerando estes objetivos, nós convidamos a todas e todos que compareçam ao Fórum Social Temático - Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental que se realizará em Porto Alegre e Região Metropolitana nos dias 24 a 29 de janeiro de 2012.

Um Fórum diferente que se vê como processo. Para isso, estabelecemos Grupos Temáticos num processo capaz de acolher a multiplicidade de experiências e contribuições dos diversos sujeitos sociais em torno destes temas abrangentes e mobilizadores capazes de articular atores dos mais variados movimentos. Os Grupos Temáticos estão sendo constituídos dos temas relacionados com a agenda da sustentabilidade e da justiça social e ambiental; da existência de redes em condições de facilitar política e operacionalmente os debates e de sistematizar a discussão realizada nos fóruns eletrônicos; viabilizando as discussões em diferentes línguas para seus participantes, tornando-as abrangentes. Os Grupos Temáticos se encontrarão em Porto Alegre nos primeiros dias (25 e 26 de janeiro de 2012) para a sistematização dos debates do FST e nos dias seguintes (27 e 28 de janeiro de 2012) haverá uma articulação dos vários diálogos entre si ao redor de quatro eixos transversais, quais sejam:

  1. fundamentos éticos e filosóficos: subjetividade, dominação e emancipação;
  2. direitos humanos, povos, territórios e defesa da Mãe-Terra;
  3. produção, distribuição e consumo: acesso à riqueza, bens comuns e economia de transição;
  4. sujeitos políticos, arquitetura de poder e democracia.
Todo este processo será facilitado pelo Comitê Organizador (GRAP + Comitê Local) e pelos facilitadores dos grupos temáticos. A este coletivo caberá tomar as decisões sobre a organização do FSTemático e os desdobramentos da metodologia. Outras iniciativas apoiarão esta elaboração coletiva, tais como, um painel sobre a conjuntura e a sistematização de indicadores.

A plataforma www.dialogos2012.org estará no ar no dia 20 de novembro, com subsídios iniciais para o debate dos vários grupos temáticos e aqueles que se inscreveram nos grupos temáticos poderão acompanhar as discussões nas quatro línguas do Fórum: inglês, espanhol, francês e português. Até esta data, estaremos recebendo as propostas de inscrições dos grupos temáticos através do e-mail grupostematicosfst@gmail.com. Após a verificação do cumprimento das pré-condições e eventuais aglutinações, enviaremos um e-mail confirmando a formação do GT e disponibilizando a plataforma para uso do grupo.

Informe-se sobre o processo de preparação do Fórum Social Temático, inscrições de atividades autogestionárias e outras questões no site www.fstematico2012.org.br ou escreva para fstematico2012@gmail.com. Participe e prepare-se para vir a Porto Alegre e Região Metropolitana.

Vamos continuar reinventando o mundo! COMITÊ ORGANIZADOR

Enviada por ParanaBlogs, às 17:57 19/12/2011, de Curitiba, PR


Boas Festas e um Grande 2012 a tod@s!!!
Enviada por TIE-Brasil, às 18:40 16/12/2011, de Curitiba, PR


Fórum Social Temático 2012 Porto Alegre: inscrições abertas
As inscrições da edição descentralizada do FST no Brasil acontece entre 24 e 29 de janeiro de 2012, em Porto Alegre e Região Metropolitana (Gravataí, Canoas, São Leopoldo, e Novo Hamburgo), estão abertas. Com o tema Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental Preparatório, o evento será preparatório para a Cúpula dos Povos da Rio+20, iniciativa de movimentos sociais e ambientais, organizações, redes, grupos da sociedade civil mundial que acontece paralelamente à Conferência da ONU.

Além das atividades autogestionadas, tradicionais nos Fóruns Sociais Mundiais, você e sua rede podem participar da plataforma de discussão criada pelo Comitê Organizador do Fórum 2012. Ela funciona por meio dos Grupos Temáticos de Reflexão e, diferentemente das autogestionadas, qualquer cidadão pode contribuir sem participar de alguma organização. O Fórum acolherá este encontro de redes internacionais, articuladas em torno destes grupos sobre assuntos pertinentes a ele. Esta construção já está em andamento na Plataforma de Diálogos do Fórum Social Temático. São eles:

1. Por que Crise capitalista, Justiça Social e Ambiental?

2. Qual a conexão deste Fórum com o processo do Fórum Social Mundial e das demais mobilizações em vistas à Rio+20?

3. Então, eu já posso participar? O que devo fazer?

4. O que são atividades autogestionadas? Quem as promove? Como posso inscrevê-las?

5. O que são estes Grupos Temáticos de diálogo? Como posso acompanhar seus trabalhos e participar?

“Estabelecemos Grupos Temáticos num processo capaz de acolher a multiplicidade de experiências e contribuições dos diversos sujeitos sociais em torno destes temas abrangentes e mobilizadores capazes de articular atores dos mais variados movimentos. Os grupos estão sendo constituídos dos assuntos relacionados com a agenda da sustentabilidade e da justiça social e ambiental; da existência de redes em condições de facilitar política e operacionalmente os debates e de sistematizar a discussão realizada nos fóruns eletrônicos; viabilizando as discussões em diferentes línguas para seus participantes, tornando-as abrangentes”, diz a convocatória do Comitê Organizador do FST.

Acesse a plataforma: http://dialogos2012.org

E a programação geral do Fórum é:

24 de janeiro

9h – Abertura do Fórum Mundial de Educação (Porto Alegre) 15h – Marcha de Abertura (Porto Alegre) 18h – Show de Abertura (Anfiteatro Porto Sol – Porto Alegre)

25 de janeiro

Manhã/Tarde – Atividades autogestionadas (Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Novo Hamburgo)

Tarde – Reunião dos Grupos Temáticos de preparação à Cúpula dos Povos na Rio+20 (UFRGS - Porto Alegre) Atividades Culturais e Artísticas em Porto Alegre, São Leopoldo e Novo Hamburgo

Noite – Show geral em Canoas

26 de janeiro

Manhã/Tarde – Atividades autogestionadas (Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Novo Hamburgo)

Tarde – Reunião dos Grupos Temáticos de preparação à Cúpula dos Povos na Rio+20 (UFRGS - Porto Alegre) Atividades Culturais e Artísticas em Porto Alegre, Canoas e São Leopoldo.

Noite – Show geral em Novo Hamburgo

27 de janeiro

Manhã/Tarde – Atividades autogestionadas (Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Novo Hamburgo)

Tarde – Reunião dos Eixos Transversais em preparação à Cúpula dos Povos na Rio+20 - (UFRGS - Porto Alegre) Atividades Culturais e Artísticas em Porto Alegre, Canoas e Novo Hamburgo

Noite – Show geral em São Leopoldo

28 de janeiro

Manhã/Tarde – Atividades autogestionadas (Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Novo Hamburgo)

Tarde – Reunião dos Eixos Transversais em preparação à Cúpula dos Povos na Rio+20 (UFRGS - Porto Alegre) Atividades Culturais e Artísticas em Canoas, São Leopoldo, Novo Hamburgo

Noite – Show geral em Porto Alegre

29 de janeiro

10h – Atividades de preparação para a Cúpula dos Povos para a Rio+20

Acompanhe as informações:

Site Fórum Social Temático www.fstematico2012.org.br
fstematico2012@gmail.com

Plataforma de Diálogos do Fórum Social Temático www.dialogos2012.org
grupostematicosfst@gmail.com

Cúpula dos Povos da Rio+20 http://cupuladospovos.org.br/

Para fazer inscrições individuais (participantes)
http://www.fstematico2012.org.br/index.php?link=43

Para fazer inscrições de atividades autogestionadas
http://www.fstematico2012.org.br/index.php?link=42
Enviada por Sérgio Bertoni, às 12:45 16/12/2011, de Curitiba, PR


Bancos apossam-se da Europa
Da RedeCastorPhoto

Por Adriano Benayon

1. A oligarquia financeira está empurrando, goela abaixo da União Européia (UE), um “acordo” que estabelece regras rígidas para que a Europa seja governada (ou desgovernada), de forma absoluta, por bancos, liderados pelo Goldman Sachs, de Nova York.

2. Embora as modificações desse acordo aos Tratados da UE dependam de aprovação legal em cada país membro - processo que poderia durar anos - os manipuladores financeiros assumiram o poder na marra e irão em frente, a menos que o impeça a resistência dos povos, ainda sem organização.

3. Com a experiência da pequena Islândia, em duas consultas ao povo, a última em abril de 2011, os predadores perceberam que qualquer outra, em qualquer país, implica a derrota de suas proposições. Bastou o ex-primeiro-ministro da Grécia falar em referendo para ser demitido.

4. Mesmo antes de 09.12.2011 - quando foi encenada “reunião de cúpula”, e Sarkozy (França) e Angela Merkel (Alemanha) anunciaram o tal “acordo” - o Goldman Sachs (GS) já havia posto três de seus prepostos em posições-chave: Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu; Mario Monti, primeiro-ministro da Itália; Lucas Papademos, primeiro-ministro da Grécia, envolvido em operações do Goldman Sachs com a dívida grega resultantes em sua elevação.

Clique aqui para continuar a ler "Bancos apossam-se da Europa".
Enviada por Castor Filho, às 11:00 15/12/2011, de São Paulo, SP


Cordel em homenagem a Santo Dias
Enviada por Projeto Memória OSM-SP, às 12:32 14/12/2011, de São Paulo, SP


O combustível que faltava!
Do Facebook de Fael Miranda

"Cachaça pura derruba a ditadura...
Cachaça com limão pra fazer a revolução!"
Enviada por Paranablogs, às 11:03 14/12/2011, de Curitiba, PR


Em noite de homenagens, CUT reforça compromisso com a liberdade e com democracia
Central resgata história de lutadores no dia em que AI-5 impunha uma das maiores vergonhas da história do Brasil

Por Luiz Carvalho

Roberto Parizotti

Wagner Tiso abre o prêmio CUT
Wagner Tiso abre o prêmio CUT

A data, o lugar e os convidados. Nada foi por acaso na celebração do 1.º Prêmio CUT Democracia e Liberdade Sempre que a Central Única dos Trabalhadores promoveu na noite dessa terça-feira (13), no Teatro da Universidade Católica de São Paulo (TUCA).

No mesmo dia em que em 1968 o governo do general Costa e Silva baixava o Ato Institucional Número 5 (AI-5), responsável por fechar o Congresso, cassar mandatos parlamentares e suspender a garantia de habeas-corpus para os cidadãos brasileiros, a maior central sindical do Brasil e da América Latina rendeu uma homenagem a representantes dos movimentos sociais que ajudaram ou ajudam a construir diariamente a democracia brasileira.

A cerimônia começou pouco depois das 20h, com a apresentação do maestro Wagner Tiso, autor do música-tema da campanha pelas eleições diretas no país e um dos fundadores do PT. Coube ao grupo de teatro popular União e Olho Vivo, fundado em 1966 para resistir à repressão por meio da arte, executar o hino nacional de uma forma bem brasileira, com viola caipira, batuque e berimbau.

Carlos Marighella presente – Sobre o palco que por diversas vezes serviu para manifestações contra a repressão, os atores Paulo Betti e Ester Góes comandaram a celebração e iniciaram lembrando os 100 anos que Carlos Marighella completaria em 2011. Ele foi executado covardemente pelos militares em 1969.

Também foram citados os colaboradores da CUT na escolha dos candidatos aos prêmios: a jornalista Denise Fon, o sociólogo Emir Sader, o ex-deputado federal e ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o diretor do Movimento Nacional de Direitos Humanos, Rildo Marques.

O artista plástico Elifas Andreato, outra voz que enfrentou a ditadura e autor do prêmio entregue aos escolhidos, não foi esquecido. E como a democratização do país passa pela democratização da comunicação, o blogueiro Eduardo Guimarães, em nome do Encontro de Blogueiros Progressistas também levouum troféu. “Uma das razões pelas quais o Brasil mergulhou na ditadura foi a falta da democracia na comunicação. Porém, os impérios continuam aí, mentindo e caluniando”, criticou, antes de citar como exemplo o absoluto silêncio da velha mídia a respeito do livro “A Privataria Tucana”, de Amaury Ribeiro Junior, que relata as maracutaias no processo de privatizações durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Roberto Parizotti

Diversas entidades que lutam pelos direitos humanos compareceram
Diversas entidades que lutam pelos direitos humanos compareceram

O público decidiu - Os nomes definidos pela comissão e votados pelo público no site da CUT trouxeram uma característica em comum: a citação a outros lutadores que não estão mais presentes.

Como foi o caso da primeira das homenageadas, vencedora em “Personalidade de destaque na luta pela Redemocratização do Brasil”, a assistente social e professora, Rosalina Santa Cruz. “Quero dedicá-lo (o prêmio) a Fernando Santa Cruz (irmão de Rosanalina e desparecido político), como a muitos outros brasileiros, assassinados nos campos de extermínio semelhantes ao da Alemanha nazista, ao que tivemos na Argentina, no Chile, na Guatemala e Uruguai. Às mulheres que lutaram por uma pátria socialista dando suas vidas por isso”, disse, ao lado de Idibal Pivetta e Maria Augusta Capistrano, os outros indicados.

Rosalina não deixou passar em branco a tarefa do governo diante das atrocidades cometidas pelo Estado durante o período da ditadura. “Exigimos que o governo brasileiro faça uma Comissão da Verdade legítima, que vá além dos nossos inúmeros relatos e apure a responsabilidade daqueles que torturaram e assassinaram”, cobrou.

Roberto Parizotti

Emocionada, Maria Augusta (à esquerda) recebe um abraço de Rosalina
Emocionada, Maria Augusta (à esquerda) recebe um abraço de Rosalina

Ganhador em “Personalidade de destaque na luta por Democracia, Cidadania e Direitos Humanos”, Frei Betto, esteve ao lado de Gegê, líder do Movimento de Moradia do Centro de São Paulo (MMC), e da representante de Clara Charf, militante e viúva de Carlos Marighella. “Não somos concorrentes, somos companheiros lutando pela mesma causa”, disse Frei Betto, resumindo o espírito da noite. “Esse prêmio não é de uma pessoa, é de um movimento”, finalizou, para depois dedicá-lo justamente a Marighella e a Egídio Brunetto, dirigente do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) na região do Mato Grosso do Sul, que perdeu a vida em um acidente automobilístico no dia 28 de novembro.

Antes de ir, deixou um recado. “Espero que a CUT preserve a autonomia e lembre-se que governo é igual feijão, só funciona em panela de pressão.”

Luta no campo – Como “Personalidade de destaque na luta por Democracia e Direitos dos Trabalhadores” o público escolheu a farmacêutica cearense Maria da Penha, cuja luta deu origem a uma lei para punir a violência doméstica contra as mulheres. Ela não pode comparecer e foi representada por Tião Simpatia, repentista autor da Lei Maria da Penha em cordel. Ao seu lado estavam familiares de Abdias do Nascimento, ativista do movimento negro que foi perseguido político desde o Estado Novo, obrigado a afastar-se do Brasil durante a ditadura militar e a viúva de Virgílio Gomes, operário químico assassinado por agentes da repressão em 1969.

Por motivos de saúde, o bispo Dom Pedro Casaldáliga também não pode comparecer para receber o prêmio de “Personalidade de Destaque na luta por Democracia e Justiça no Campo”. Mas, enviou uma representante que leu uma carta onde ele alertava: “propomos uma utopia a altura de uma sociedade em construção fundada na profunda riqueza da dignidade do trabalho. Não podemos servir a dois senhores, o do capital e o do trabalho ao mesmo tempo”, citou, ao lado de Valdir Ganzer e Manoel da Conceição, os outros dois concorrentes.

Roberto Parizotti

Paulo Okamoto (à direita) lê mensagem enviada pelo ex-presidente Lula sob olhares de Artur e Carmen Foro (secretária do Meio Ambiente da CUT)
Paulo Okamoto (à direita) lê mensagem enviada pelo ex-presidente Lula sob olhares de Artur e Carmen Foro (secretária do Meio Ambiente da CUT)

A última categoria, “Instituição de Destaque na luta por Democracia e Liberdade”, foi vencida pelo MST, representado por Gilmar Mauro, dirigente nacional do movimento, acompanhado pela viúva de Egídio Brunetto. “Somos apenas portadores do nosso movimento, que só existe graças à solidariedade de muitos que estão aqui”, disse Mauro.

Homenagem a Lula – Por fim, coube a homenagem a uma personalidade vencedora da categoria Destaque na Luta por Democracia e Liberdade, em que não houve votação popular. Porém, considerando os aplausos que arrancou da platéia ao ter seu nome anunciado, certamente o indicado pela comissão cutista não sofreria resistência: trata-se do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, representado na ocasião pelo presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto.

Em sua apresentação, Okamoto comentou que uma das missões do instituto é criar o Memorial da Democracia para contar um pouco da luta dos trabalhadores que construíram as instituições ali presentes.

Roberto Parizotti

Presidente Artur Henrique encerra cerimônia
Presidente Artur Henrique encerra cerimônia

A mensagem que leu de Lula trazia o orgulho pela lembrança. “Ter meu nome associado à luta pela democracia e pela liberdade me enche de orgulho, mais ainda se vem dos trabalhadores.”

Não deixar a história morrer Presidente nacional da CUT, Artur Henrique, encerrou a cerimônia e apontou as duas tarefas prioritárias do prêmio: resgatar a história de quem defendeu a democracia e a liberdade e continuar essa luta para que o período sombrio jamais retorne. Luta que envolve, inclusive, a transformação do modelo de sindicalismo no Brasil.

“Queremos a liberdade também para que o trabalhador possa decidir como organizar o seu sindicato, sem interferência do Estado. Por isso esse prêmio é parte de nossa campanha em defesa da Convenção 87 da OIT (Organização Internacional do Trabalho), que trata da liberdade e da autonomia sindical”, encerrou.

Fonte: http://www.cut.org.br/destaques/21597/em-noite-de-homenagens-cut-reforca-compromisso-com-a-liberdade-e-com-democracia

Enviada por Cido Araújo, às 10:43 14/12/2011, de São Paulo, SP


Governo Federal vai acabar também com o “Um milhão de Cisternas”? Que beleza!
Do blog da Maria_Fro

Incompetente para regular as ONGs o governo federal joga todas elas no mesmo saco e põe em risco programas incríveis como o que combate a seca no semi-árido, coibindo a participação da sociedade civil organizada e mais uma vez estimulando o capital privado.

Dá para continuar animada com este governo? Como? Mas quando se trata de leva água para o agronegócio… não vemos nenhum retrocesso, ou alguém aí ouviu falar em paralização das obras de transposição das águas do Rio São Francisco? Para o agronegócio tudo: reforma do código florestal, perdão do desmatamento, estímulo aos agrotóxicos…

Decisão do MDS pode levar ao fim o Programa Um Milhão de Cisternas Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA),
Fonte do PDF: Advivo

“A dor da morte é não acabar com o nordestino A dor do nordestino é ter as pena exagerada” (Guerra de Facão – Wilson Aragão)

Após oito anos de parceria com o Governo Lula, a decisão do governo federal, expressa pelo Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS), de não mais renovar os Termos de Parceria com a Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA), pode levar ao fim uma das ações mais consistentes de garantia de água para as famílias do meio rural semiárido: o Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC) e o Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2). Sem dúvida o maior programa com apoio governamental de distribuição de água e cidadania, em uma região onde antes só existia fome, miséria e a indústria da seca.

O P1MC, premiado até pela Organização das Nações Unidas (ONU), gestado e executado pela ASA (rede de organizações da sociedade civil), já beneficiou diretamente mais de dois milhões de pessoas, em 1.076 municípios, a partir da construção de quase 372 mil cisternas de placas, envolvendo 12 mil pedreiros e pedreiras. Os resultados são tão expressivos que a construção de cisternas se configura como a principal proposta do Programa Água para Todos. (grifos nossos)

A argumentação é que a partir de agora o governo federal vai priorizar a execução do Programa, que integra o Plano Brasil Sem Miséria, apenas via municípios e estados, excluindo a sociedade civil organizada. A sugestão dada pelo MDS é que a ASA negocie sua ação em cada um dos estados contemplados.

Para além da parceria com estados e municípios, o governo também anuncia a compra de milhares de cisternas de plástico/PVC de empresas que começam a se instalar na região. Ou seja, o governo não apenas rompe com a ASA, mas amplia a estratégia de repasse de recursos públicos para as empresas privadas. (grifos nossos)

Consideramos isso um retrocesso, o que pode gerar um retorno claro e nítido a velhas práticas da indústria da seca, onde as famílias são colocadas novamente como reféns de políticos e empresas, tirando-lhes o direito de construírem sua história. É também uma tentativa de anular a história de luta e mobilização no Semiárido, devido à incapacidade do próprio governo em atuar com as ONGs, sem separar o joio do trigo, e não ter, até hoje, construído um marco regulatório para o setor, uma das promessas de campanha da presidenta Dilma. (grifos nossos).

A autonomia da execução das suas ações e a transparência no uso dos recursos sempre foi base para esse trabalho. Vale salientar que a ASA foi considerada pelo ministro chefe da Controladoria Geral da União, Jorge Hage Sobrinho, na abertura do Seminário Internacional sobre Marco Legal, e pelo secretário executivo do mesmo órgão, Luiz Navarro, em programa aberto de TV, um exemplo na gestão de recursos públicos.

As ações da ASA não são reconhecidas apenas no Brasil, que renderam uma dezena de prêmios, a exemplo do Prêmio Direitos Humanos – categoria Enfrentamento à Pobreza, promovido pelo próprio governo federal e entregue pelo então presidente Lula, no final do ano passado, mas também internacionalmente, como referência de gestão e inclusão social no campo do acesso à água e do direito à segurança alimentar e nutricional das famílias carentes do Semiárido (ONU).

Nesse contexto, a ASA avalia que o Estado precisa cumprir sua função na garantia dos direitos da população brasileira, inclusive, dando condições para que os entes federativos possam executar as políticas localmente. No entanto, isso não pode significar a exclusão da sociedade civil organizada e o desprezo a sua capacidade de contribuição que tanto já serviu de modelo para atuais políticas públicas, em especial às de convivência com o Semiárido.
Enviada por Maria Fro, às 09:47 14/12/2011, de Twitter


Presidente da CUT defende marco legal para garantir direitos dos trabalhadores
Terceirização – Regulamentar para não precarizar

Por Marize Muniz

O presidente da CUT, Artur Henrique, defendeu a regulamentação da terceirização da mão de obra no Brasil para diminuir a precarização e garantir os direitos dos trabalhadores.

Segundo ele, além de ser irreversível, o processo que, no início, era de gestão empresarial – a empresa terceirizava algumas atividades para concentrar esforços na atividade-fim – hoje é um instrumento utilizado para precarizar condições de trabalho com aumento jornada, redução de salários, mais rotatividade e desrespeito às normas de saúde e segurança, dentre outros.

“O que assistimos hoje é desrespeito à Constituição, que valoriza o trabalho e a dignidade humana”, afirmou Artur durante palestra no seminário realizado na terça-feira (6), em Brasília, pelo jornal Valor Econômico, sobre o tema.

“O desafio hoje”, disse ele, “é construir uma regulamentação que incorpore as mudanças já consolidadas no mercado de trabalho e reverta a precarização resultante do processo de terceirização”.

E, para comprovar a necessidade urgente de uma regulamentação que garanta os direitos dos trabalhadores terceirizados, o presidente da CUT apresentou dados sobre a evolução da terceirização e suas conseqüências para o mundo do trabalho e a vida do trabalhador. Segundo estudo realizado pela subseção do DIEESE da CUT, os trabalhadores terceirizados ganham 27,1% e menos do que os contratados; ficam, em média, 2,6 anos no mesmo emprego contra 5,8 anos dos contratados; e a rotatividade entre os terceirizados é de 44,9%.

E para piorar ainda mais a situação dos trabalhadores, o número de acidentes entre os terceirizados é maior do que entre os contratados. Na Petrobrás, em 2009, por exemplo, houve 7 mortes, das quais 6 foram com trabalhadores terceirizados. Em 2010, foram 9 óbitos, sendo que 6 foram com terceiros. Já na Vale, em média, são registrados 13 óbitos por ano, sendo que 8 vitimam trabalhadores terceiros. Em 2011, já foram 3 acidentes fatais, 2 foram com terceirizados. No setor elétrico, a taxa de mortalidade entre os terceiros foi de 47,5 por grupo de 100 mil trabalhadores, enquanto a taxa dos trabalhadores diretos foi de 14,8. Ou seja a taxa de mortalidade dos terceirizados no setor é 3,21 vezes maior.

No encerramento de sua palestra, fazendo uma alusão a proposta feita pelo professor José Pastore, na abertura do seminário – ele propôs liberar a terceirização para todas as atividades e as garantias para os trabalhadores seriam a legislação e direito à negociação – o presidente da CUT concordo plenamente com a importância da negociação, mas alertou que, para isso, é fundamental fortalecermos o processo de negociação coletiva. Artur lembrou que isso só será possível com o fim do Imposto Sindical que obrigará alguns sindicalistas a saírem da comodidade de suas salas com ar condicionado e ir para os locais de trabalho participar do dia a dia dos trabalhadores, saber quais as suas necessidades e reivindicações, participar de mesas permanentes de negociação etc.

“É importante fortalecer os sindicatos. Mas, para isso, é preciso mudar a estrutura sindical do país que, hoje, permite a criação de sindicatos de gaveta, criados só para receber os recursos do imposto sindical, que não têm base, nem lutam para conquistar reivindicações sociais nem lutas históricas. O problema é que só a CUT quer o fim do imposto, liberdade e autonomia para que os trabalhadores possam decidir se, como e quanto querem pagar para financiar seus sindicatos. Enquanto isso não aconteceu, teremos terceirização, quarteirização e até quinteirização da mão de obra com um único objetivo: precarizar as relações e as condições de trabalho”, concluiu Artur.
Enviada por Cido Araújo, às 18:23 12/12/2011, de São Paulo, SP


O que o Vaticano, o fim do socialismo soviético e a privataria tucana tem em comum?
À primeira vista, o Vaticano, o fim do socialismo soviético e a privataria tucana nada tem em comum e são considerados, por alguns, fenômenos "isolados" no tempo e no espaço.

Porém, 3 livros publicados nos últimos 18 meses, Vaticano S.A (Gianluigi Nuzzi, Larousse, 2010), Economia Bandida (Loretta Napoleoni, Difel, 2010) e A Privataria Tucana (Amaury Ribeiro Jr., Geração Editorial, 2011) mostram que os 3 "fenômenos" tem em comum o modus operandis neoliberal de desvio criminoso de dinheiro público, sempre lavados por empresas ou bancos off-shores, e seu investimento em negócios legais ou espúrios, fazendo com que de uma forma ou de outra a grana desviada volte aos corrputos e corruptores na qualidade de dinheiro limpo, legalizado no sistema bancário-financeiro internacional.

A lavanderia do Vaticano, através de seu IOR - Instituto para Obras Religiosas, também conhecido como Banco do Vaticano, pode ser considerada a mais antiga encravada na Europa continental, bem no centro de Roma.

Os esquemas relatados no livro de Gianluigi Nuzzi remontam ao papado de Paulo VI e conta como a grana ilegal de políticos, empresários e bispos de vários países eram legalizados pela off-shore IOR, ou seja, Banco do Vaticano.

Baseado no arquivo secreto do Monsenhor Renato Dodozzi, morto em 2003), Vaticano S.A. revela escândalos políticos e financeiros da maior Instituição Religiosa do Mundo: a Igreja Católica Apostólica Romana.

O imenso arquivo do Monsenhor Dodozzi, que trabalhou no IOR, ficou guardado na Suíça até a sua morte e hoje acessível a todos, revela uma verdadeira e própria "lavanderia de dinheiro" no centro de Roma, utilizada também pela máfia e por inescrupulosos aventureiros políticos. Um paraíso fiscal que não se submete a nenhuma legislação, a não ser às sacras leis do Estado do Vaticano.

O livro mostra também como fundos "pessoais" do papa João Paulo II foram usados para financiar o sindicato polonês Solidariedade contra o regime socialista soviético.

Economia Bandida chegou ao Brasil após lançamentos de sucesso na América do Norte e Central, Europa e Ásia. Nele, Loretta Napoleoni disseca a extensa rede de ilegalidade existente no planeta - da indústria do sexo na Europa Oriental à rede chinesa de pornografia online, passando pela comercialização do Viagra e pelo tráfico de diamantes na África.

Não é um livro sobre as origens obscuras dos produtos que consumimos nem sobre as mentiras das campanhas publicitárias dos propagandistas da eterna juventude. Tampouco se trata de um manual antiglobalização ou de um manifesto pela revolução do consumidor.

Mostra o que há de comum entre o próspero comércio sexual do Leste Europeu, o escândalo dos empréstimos hipotecários podres nos Estados Unidos, a indústria chinesa de produtos falsificados e a filantropia das celebridades na África. Descreve como biopiratas exploram a indústria do sangue, como os bandidos da pesca devastam os altos-mares, como a pornografia se desenvolve virtualmente no Second Life e como jogos como o World of Warcraft geram “suadouros” on-line, levando-nos a concluir que as indústrias bandidas estão se transformando em impérios globais e tornando-se regra descarada do sistema capitalista que antigamente procurava disfarçar-se sob negócios tidos como legais.

Mostra, enfim, como o mundo vem sendo remodelado por forças econômicas obscuras que vitimam milhares de pessoas comuns cujas vidas foram aprisionadas na fantasia do consumismo mundial. Napoleoni revela a arquitetura de nosso mundo.

Por sua vez, A privataria tucana nos traz a arquitertura de nosso Brasil "moderno" e, de maneira chocante e até decepcionante, relata a dura realidade dos bastidores da política e do empresariado brasileiro, em conluio para roubar dinheiro público.

Faz uma denúncia vigorosa do que foi a chamada Era das Privatizações, instaurada pelo governo de Fernando Henrique Cardoso e por seu então Ministro do Planejamento, José Serra. Nomes, até agora blindados pela aura da honestidade e pela imprensa nacional, surgirão manchados pela descoberta de seus malfeitos.

O livro traz os documentos secretos e a verdade sobre o maior assalto ao patrimônio público brasileiro e o trânsito de fortunas tucanas até os paraísos fiscais.

O leitor perceberá que nas 3 publicações citadas tudo é SAGRADO, desde que garanta aos neoliberais e a seus operadores os maiores, mais fáceis e rápidos lucros possíveis, pouco importando a origem ou legalidade das operações em que eles se envolvam.

Interesses e direitos HUMANOS, nacionais, religiosos, políticos, economicos, sociais ou populares são descaradamente atropelados em nome do rápida e absurda concentração de renda e riquezas do vale-tudo do TUDO PELO CAPITAL.
Enviada por Paranablogs, às 14:52 12/12/2011, de Curitiba, PR


Governo Richa propõe contratação de "soldado voluntário"
Do portal de Tadeu Veneri

Com a proposta que institui no Paraná o serviço auxiliar voluntário na Polícia Militar, o governo estadual está buscando mais uma maneira de driblar o concurso público, a principal porta de entrada para o serviço público. A avaliação é do deputado Tadeu Veneri (PT), ao examinar o projeto nº 942, encaminhado pelo governador Beto Richa (PSDB) à Assembleia Legislativa, que prevê a contratação de até 1,5 mil "soldados PM Voluntário" para atuar na Corporação.

O projeto determina que as contratações, através de processo seletivo próprio, serão dirigidas às áreas administrativa, de saúde e defesa civil. Veneri observa que o projeto descreve algumas funções, mas deixa em aberto a possibilidade de o serviço voluntário ser estendido para outras tarefas, ao incluir a expressão "dentre outras".

Ao recrutar cidadãos sem a exigência da qualificação e treinamento para atuar na área de seguranç a, o governo demonstra seu descompromisso com um setor tão essencial para a população, ao mesmo tempo que cria uma subcategoria de servidores. "O projeto especifica algumas funções burocráticas, que podem ser assumidas por voluntários, mas não impede que outras, como o serviço de rua, sejam também entregues a "soldados voluntários", disse o deputado.

A marca tucana

Para Veneri, a proposta de Beto Richa reforça a marca da atual administração, de redução do estado e precarização do trabalho no serviço público. "É o mesmo caminho da terceirização, já trilhado com a lei que permite repassar serviços públicos a entidades privadas, como as Organizações Sociais", comentou.

Veneri acrescentou que os contratados por esse regime não têm as prerrogativas previstas em lei e asseguradas aos policiais militares.

Na justificativa do projeto, Beto Richa alega que é mais barato contratar um voluntário do que um soldado de 1ª. classe. "O ar gumento é típico do administrador que vê o estado como uma empresa privada, onde a lógica financeira prevalece sobre o interesse público", criticou Veneri.

O deputado questiona ainda a justificativa do governo, que aponta a substituição de policiais militares em serviços burocráticos pelos voluntários, alegando que assim poderá aumentar o efetivo de rua. "Nós precisamos saber quantos são e quem são os policiais que atualmente exercem funções burocráticas. Essas informações são importantes para saber se estes policiais estão em condições de fazer trabalho de rua",

O projeto do governo prevê um auxílio mensal de R$ 1, 5 mil para os trabalhadores voluntários, que podem ser admitidos por um ano, prorrogável pelo mesmo período. De acordo com a proposta, o governo pode recrutar um voluntário para cada grupo de cinco efetivos da PM. Nesta proporção, o número de voluntários pode chegar a 4, 9 mil.

O governo está baseando o projeto na lei federal 10 .029/00, que estabelece normas gerais para a prestação voluntária de serviços administrativos e auxiliares nas PMs e Corpos de Bombeiros. A lei é alvo de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) movida pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que considera o texto uma "aberração jurídica".
Enviada por Marilena Silva, às 14:47 12/12/2011, de Curitiba, PR


Homenagem de Henfil ao Dr. Sócrates
Enviada por ParanaBlogs, às 19:59 09/12/2011, de Curitiba, PR


Já temos a capa da próxima Veja!
Sugestão de @eduguim, no twitter

http://paranablogs.files.wordpress.com/2011/12/vejaamaury.jpg?w=212

Enviada por ParanaBlogs, às 19:58 09/12/2011, de Curitiba, PR


A privataria tucana: lançado livro que desmascara o tucanato e o empresariado

Acaba de ser lançado o tão prometido livro de Amaury Ribeiro Jr., jornalista que trabalhou no ninho tucano, que desvenda o modus operandis do tucanato em conluio com o empresariado nacional e internacional.

Alguns já consideravam o livro de Amaury Jr. a primeira grande lenda urbano-cibernética criada pela blogosfera brasileira, mas finalmente veio à luz, fartamente documentado, revelando as fortunas tucanas em paraísos fiscais, após as privatizações do governo FHC, e a rede de espionagem montada pelo ex-governador de São Paulo José Serra contra seu adversário interno no PSDB, o também tucano Aécio Neves, que era governador de Minas Gerais.

O livro está a venda nas melhores livrarias do país e pode ser encontrado a R$ 27,90.

Confira aqui a sinopse publicada no site da Livraria Saraiva:

Prepare-se, leitor, porque este, infelizmente, não é um livro qualquer.

A "PRIVATARIA TUCANA" nos traz, de maneira chocante e até decepcionante, a dura realidade dos bastidores da política e do empresariado brasileiro, em conluio para roubar dinheiro público.

Faz uma denúncia vigorosa do que foi a chamada Era das Privatizações, instaurada pelo governo de Fernando Henrique Cardoso e por seu então Ministro do Planejamento, José Serra. Nomes imprevistos, até agora blindados pela aura da honestidade, surgirão manchados pela imprevista descoberta de seus malfeitos.

Amaury Ribeiro Jr. faz um trabalho investigativo que começa de maneira assustadora, quando leva um tiro ao fazer reportagem sobre o narcotráfico e assassinato de adolescentes, na periferia de Brasília.

Depois do trauma sofrido, refugia-se em Minas e começa a investigar uma rede de espionagem estimulada pelo ex-governador paulista José Serra, para desacreditar seu rival no PSDB, o ex-governador mineiro Aécio Neves.

Ao puxar o fio da meada, mergulha num novelo de proporções espantosas.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 16:50 09/12/2011, de Curitiba, PR


Privataria Tucana: baixe aqui "O Brasil Privatizado - Um balanço do desmonte do Estado"
Se você se interessa pela privataria promovida pelos neoliberais tucanos leia o livro "A privataria tucana" de Amaury Ribeiro Jr. lançado nessa sexta-feira, 09/12, mas não deixei de baixar e ler "O Brasil Privatizado - Um balanço do desmonte do Estado" de Aloysio Boindi.

Você pode baixar o livro de Biondi livremente clicando aqui.

Boa Leitura!
Enviada por Sérgio Bertoni, às 16:47 09/12/2011, de Curitiba, PR


Nova Luz: Curitiba, é isso que você quer para seu futuro?
Este vídeo é sobre o projeto de transformação da Luz, bairro tradicional do centro de São Paulo, que a prefeitura do PSD, aliada dos tucanos paulistas, quer implantar a todo custo.

Curitiba parece caminhar na mesma direção.

Será que é isso que você quer de Curitiba?

Será que nossas cidades precisam disso?

Quem avisa, Amigo é!


LUZ from Left Hand Rotation on Vimeo
Enviada por Cido Araújo e Sérgio Bertoni, às 20:14 07/12/2011, de São Paulo, SP e Curitiba, PR


Pela 1ª vez, 500 famílias se mobilizam por terra e moradia em Itacoatiara (AM)
Em 03/11/2011, o ParanaBlogs postou em primeira mão o documento dos trabalhadores e trabalhadoras rurais, ribeirinhos e ribeirinhas de Itacoatiara (AM) que vivem e trabalham na região dos ramais JAMANÃ, RONDON I, RONDON II e COPAÍBA (Lago de Serpa) na luta pela terra e pela vida a 175 quilômetros de Manaus.

Há mais de 10 anos rola na Justiça do Amazonas um processo de reintegração de posse que envolve terras de propriedade privada, do governo Federal e do governo Estadual.

Os Trabalhadores rurais e suas entidades reconhecem que parte das terras realmente pertencem ao proprietário que as reinvidica, mas não concorda com a totalidade da terras reivindicadas, pois estas pertenceriam aos que nela trabalham ou aos governos federal e estadual.

A disputa é complexa pois envolve reintegração de posse de um lote de 2,6 milhões de metros quadrados e de outro de 4,4 milhões de metros quadrados onde vivem aproximadamente 500 famílias rurais.

A Comissão Pastoral da Terra - CPT, ligada à Igreja Católica e o Instituto de Terras do Amazonas (Iteam), ligado ao governo do Estado, contestam a extensão da área defendida por Jussara Maia Haddadel, autora da ação que solicitou a reintegração de posse.

Segundo Marta Valéria Cunha, coordenadora da CPT, a área reivindicada em nome de Aguila de Aguiar Souza, que seria pai da solicitante, não compreende toda a extensão citada na sentença judicial. "Ali é uma área de vários particulares. Tem até terras do governo do Estado. O problema é que o Estado nunca fez mapa plotado daquela área dizendo quais áreas são de quem”, afirma Marta.

Depois de uma manifestação, em 08 de novembro de 20011, que levou 500 pessoas às ruas de Itacoatiara, na primeira mobilização da sociedade civil organizada que aquela cidade amazônica viu em sua história, houve um corte de energia provida pelo Programa Federal Luz para Todos em todas as comunidades da região. Foi marcada uma audiência com a juíza em 14 de novembro, que resultou no reestabelecimento do fornecimento de energia elétrica, mas sem revogação da reintegração de posse decretada em 25 de outubro de 2011.

A CPT recorreu então ao Ouvidor Agrário Nacional, Gercino José da Silva Filho, solicitando uma audiência de conciliação e a anulação do mandato de reintegração de posse, cujo pedido foi prontamente encaminhado à juíza Ana Lorena Teixeira Gazzineo, que o indeferiu de acordo documentos que temos em mãos.

Depois de muita negociação uma audiência de conciliação foi marcada para este dia 06 de dezembro na cidade de Manaus com a participação de todas as partes envolvidas, na qual participará ainda um membro de Comissão Nacional de Combate à Violência no Campo, presidida por Gercino. A audiência tem como objetivo, colaborar com a resolução do conflito agrário estabelecido.

Embora os magistrados tenham reclamado de uma possível intervenção do Poder Executivo Federal em outro poder autônomo da República e justificavam a manutenção do mandato de reintegração de posse como forma de "resguardar a dignidade da justiça", a reintegração está suspensa e sua efetivação depende do resultado da audiência de hoje em Manaus.

Atentado

A comprovação de que uma intervenção federal se fazia necessária foi o episódio ocorrido em 05 de novembro. A professora Raimunda Barbosa, 59, liderança da comunidade Nossa Senhora de Aparecida do Jamanã, sofreu um atentado e foi ameaçada de morte por um motoqueiro ainda não identificado.

“Quando entrei num ramal um homem se aproximou e começou a me espancar. Cheguei a cair da moto, mas consegui escapar. Ele foi embora mas antes me ameaçou dizendo que ‘chegara minha vez´", disse Raimunda.

Raimunda, mora em Jamanã há 17 anos, faz parte da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e é uma das destacadas lideranças que se manifestaram contra a decisão judicial e a saída das famílias das áreas.

Assim como ocorreu com Nilcilene (clique aqui para conhecer a história desta camponesa jurada de morte) os jagunços não tiveram a menor preocupação ao anunciar que Raimunda também estaria "encomendada".

Resta agora saber que são estes "clientes" dos jagunços amazônicos que encomendam a morte de Trabalhadores e Trabalhadoras que nada mais querem que um pedacinho de terra para morar e exercitar o sagrado direito de trabalhar e viver.
Enviada por ParanaBlogs, às 11:47 07/12/2011, de Curitiba, PR


No sul do Amazonas, mortes rondam o campo!

Segundo CPT, só no interior do Amazonas 46 líderes comunitários estão ameaçados de morte

O pastor Antônio Vasconcelos, 55, da Assembleia de Deus e Presidente da Associação Mãe da Resex Rio Ituxi, morava em uma reserva extrativista no município de Lábrea, AM, quando dois pistoleiros se instalaram em hotel no centro da cidade.

A investida criminosa tinha como bojetivo assassinar o Pastor e acabar com o movimento dos extrativistas e defensores da floresta. Só não deu certo porque os camponeses souberam da presença dos pistoleiros e deram cobertura ao pastor, que foi transferido para outra cidade.

Dias depois, membros da Força Nacional de Segurança Pública, ligados à ‘Operação em Defesa da Vida’, chegaram ao município para dar proteção ao missionário religioso.

Mesmo diante de todo o aparato militar, os pistoleiros, antes de deixar a cidade, não se intimidaram e mandaram um recado ameaçando a família do pastor, scropt que se repete quase que diurtunamente na maior floresta tropical do planeta.

As histórias do pastor Antônio Vasconcelos e da agricultura familiar Nilcilene Lima, já contada neste blog, são exemplos de muitos casos de lideranças comunitárias e ambientalistas ameaçadas de morte, devido a conflitos de terras com fazendeiros, grileiros, e madeireiros na Região Norte do Brasil.

Pistoleiros e jagunços não respeitam a vida, as leis nem a natureza. Fazem qualquer coisa por dinheiro.

Resta saber quem são seus "clientes" dispostos a pagar para que tirem a vida de pessoas de bem e honradas.
Enviada por ParanaBlogs, às 11:42 07/12/2011, de Curitiba, PR


Vitória dos Estudantes! 50% do Fundo Social do Pré Sal vai sim para a Educação

Com a presença de representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes), a Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado (CE) aprovou nesta terça-feira (6), por unanimidade, o PLS 138/11 , projeto de lei que destina às áreas de educação e de ciência e tecnologia metade dos recursos do Fundo Social. Criado no final do ano passado, o Fundo Social tem entre as suas principais fontes de receita os recursos do petróleo retirado da camada pré-sal.

Texto que havia sido aprovado pela Comissão de Serviços de Infraestrutura determina um mínimo de 50% dos recursos do Fundo Social para programas e projetos de desenvolvimento da educação pública (básica e superior). Mas emenda apresentada pelo relator na CE, senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), incluiu ainda a área de ciência e tecnologia. Na versão aprovada pela CE, desses 50%, no mínimo 70% terão de ser destinados à educação básica; 20% para a educação superior; e 10% para ciência e tecnologia.

Essa pode ser considerada a primeira vitória o movimento, organizado pela UNE, UBES e ANPG, chamado #OcupeBrasília. Desde a manhã de hoje, 6 de dezembro, mais de 200 jovens, de diferentes estados do Brasil, estão acampados na capital federal, no gramado em frente ao Congresso Nacional com o objetivo de acompanhar a tramitação do Plano Nacional de Educação (PNE) e reivindicar a sua votação ainda este ano, com a aprovação de uma meta de investimento público da educação em 10% do Produto Interno Bruto (PIB).

Segundo Antonio Carlos Valadares, a destinação de recursos mais expressivos para a educação é coerente com as metas fixadas pelo Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020, enviado pela presidente Dilma Rousseff ao Congresso Nacional. Dentre elas estão: ampliar o investimento público em educação até atingir, no mínimo, o patamar de sete por cento do produto interno bruto (PIB) do País e universalizar o acesso à educação.

O autor do projeto, senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), lembra que a destinação de metade do Fundo Social à educação já estava prevista na lei que o criou, mas acabou vetada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

- Toda inspiração da criação da do Fundo Social do Pré-sal estava vinculado quase que unicamente à educação. Se conseguirmos 50% para educação e ciência e tecnologia nós ajudamos todas as outras áreas – disse Inácio Arruda.

Já o senador Wellington Dias elogiou a iniciativa e se posicionou favorável à proposta, mas alegou que os percentuais sugeridos talvez sejam revistos pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), onde o projeto será votado em decisão terminativa.

- Estamos falando aqui de metade de US$ 1,5 trilhão para a educação. Não precisa desses recursos, por maiores que sejam as despesas, só para a educação. É um montante considerado muito elevado – disse o parlamentar.

Da Redação UNE com informações Agência Senado
Enviada por Marcela Bonfim, às 11:39 07/12/2011, de Curitiba, PR


Planejamento apresenta Software Livre em debate sobre inclusão digital
A utilização de ferramentas públicas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) na implantação de cidades digitais será tema de painel nesta terça-feira, 6, em Vitória (ES). O debate será realizado durante a 10ª Oficina para a Inclusão Digital. O evento reúne cerca de 1.400 gestores públicos, representantes da sociedade civil, professores da rede público de ensino e interessados em TIC para discutir novas propostas para a política de inclusão digital no país.

Corinto Meffe, diretor do departamento de integração e sistemas de informação da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento, defende a utilização das soluções tecnológicas disponíveis no Portal do Software Público Brasileiro pelos municípios. “Além da infraestrutura para a criação de uma cidade digital, deve-se também reforçar a oferta de soluções públicas”, ressalta o diretor.

O Portal do Software Público Brasileiro, criado em 2007, é um modelo de disponibilização e de gestão das soluções desenvolvidas na Administração Pública e sua rede de parceiros. No portal são disponibilizadas diversas ferramentas que podem ser úteis aos mais diferentes órgãos públicos e também à sociedade. O objetivo desta ação é reduzir custos, aprimorar os aplicativos disponibilizados e, conseqüentemente, melhorar o atendimento à população.

Para Meffe, um exemplo de solução que pode ser útil para os municípios é o e-cidade. Este aplicativo promove a integração entre os entes municipais, como a prefeitura, autarquias, fundações e a câmara legislativa. Além de gerar a informatização das cidades brasileiras, o e-cidade também gera economia de recursos públicos ao permitir a liberdade de escolha dos fornecedores.

Crescimento – Após o Encontro Nacional de Tecnologia da Informação, realizado em outubro, em Brasília, o Portal do Software público teve um crescimento de 20% nas suas atividades. Atualmente, o ambiente virtual possui mais de 120 mil usuários cadastrados e conta com 52 soluções disponíveis. Onze delas exclusivas para modernizar a gestão municipal.

A 10ª Oficina para a Inclusão Digital se encerra nesta quarta-feira, 7.

Confira a programação.

Enviada por ParanaBlogs, às 11:24 07/12/2011, de Curitiba, PR


Pobreza na "rica" Curitiba é mais profunda que no resto do Brasil
Estudo da conservadora FGV, publicado no jornal Metro Curitiba, 07/12/ (foto abaixo), mostram que a pobreza em Curitiba caiu 53,4% entre 2003 e 2009, anos em que o país era presidido por Lula e o estado do Paraná governado por Requião.

Esta brutal diminuição da pobreza ocorreu graças aos programas sociais e a geração recorde de empregos e renda ocorridas durante os anos do governo Lula.

Nas favelas de Curitiba a renda média aumentou 159%, enquanto que a renda da mulheres subiu 59% e a dos homens 42% naquele período.

A renda também aumentou mais nas famílias com menor escolaridade. Enquanto as famílias chefiadas por analfabetos experimentaram um incremento de renda de 40%, as famílias cujos chefes tinham 12 ou mais anos de estudo o incremento de renda foi de 12%, mostrando claramente a importância de se fazer investimentos sociais nas camadas mais vulneráveis da população brasileira, tal como os fez o governo federal, pois estes geram grande retorno para o país, estados e municípios.

Os dados mostram também que em Curitiba vivemos no mundo da fantasia, alimentado diuturnamente por uma feroz máquina de propaganda enganosa que vive a nos convencer que estamos em um suposto 1º mundo altamente desenvolvido e feliz.

Embora seja verdade que pobreza em Curitiba é proporcionalmente menor que em outras capitais do país, atingindo "apenas" 3,64% da população, o estudo da FGV mostra que quem é pobre em Curitiba é mais pobre do que os pobres do Brasil.

Na "rica" e desenvolvida Curitiba a pobreza é mais cruel e profunda que no resto do Brasil, já que aqui para que a pessoa em condição de pobreza (com renda abaixo de R$ 151 mensais, segundo a FGV) satisfaça suas necessidades lhe faltam R$ 81, R$ 20 a mais que a média nacional.

Vale notar que diferentemente do Brasil e do Paraná, a cidade de Curitiba é governada pela mesma tchurma há mais de 25 anos!!!

Graças ao investimento social, a uma maior presença no Estado Nacional na economia e a uma política econômica voltada ao fortalecimento do mercado interno, a pobreza diminuiu no Brasil, no Paraná e em Curitiba, enquanto só fez aumentar no período anterior, era do tucano FHC, quando a moda era privatizar tudo, diminuir o tamanho do Estado a zero e entregar nossas empresas às multinacionais.

Com políticas de combate a pobreza e uma pequena melhora na distribuição de renda o Brasil de Lula cresceu e criou musculatura para enfrentar a pior crise economico-financeira que o mundo enfrenta desde 1929.

Com as políticas privatizantes e excludentes do neoliberal tucano FHC, o Brasil patinava e não conseguia nem suportar crise menores como a da Rússia em 1998...

Lembremos que nos anos do neoliberalismo tucano de FHC o Brasil quebrou 3 vezes e teve que pedir dinheiro emprestado ao FMI. Com Lula e Dilma é o FMI que vem aqui pedir grana emprestada!!!

O que mais impressiona é o fato de ainda ter gente que acredita na ladainha neoliberal das aves de rapina tucano-privatizantes que, como um mantra sagrado, diz que o estado brasileiro é incompetente e, portanto, é preciso reduzí-lo ao mínimo entregando tudo à iniciativa privada...

Incompetentes são os tucanos destruidores da vida e das riquezas nacionais.

Os dados acima comprovam em número, gênero e grau, a incompetência tucana e de seu tucano-deus privatizante, que insiste em jogar na privada todos os poucos ganhos sociais da política social implantada nas esferas federal e estadual nos governos de Lula e Requião.
Enviada por Sergio Bertoni, às 09:46 07/12/2011, de Curitiba, PR


Paraná é derrotado por aqueles que deveriam defendê-lo!
Cinco de dezembro de 2011 entra para a história do Paraná como o trágico dia da venda do Estado por aqueles que deveriam defendê-lo.

Eleitos pelos paranaenses, governador e base aliada tucana composta por 40 deputados, assumiram sua condição de incompetentes, de péssimos administradores e de antiparanaenses e venderam a saúde e educação do Estado a interesses escusos que ficarão sem controle público, pois a modalidade de venda por eles escolhida libera os promotores da privataria da licitação.

Agora, eles estão livres para meter a mão no bolso do erário paranaense, formado pelos impostos que o cidadão de bem e trabalhador paga todo santo mês.

E durante o processo de votação/ocupação da ALEP-PR, os deputadinhos da base aliada diziam, na maior cara de pau, que precisavam de proteção contra o povo que se manifestava em defesa do Estado e do Patrimônio Público do Paraná.

Ora, nada aprenderam com os dois mandatos de Lula que, Presidente da República, era abraçado e amado pelo povão por onde passava. Isso porque Lula fez algumas coisas em favor do povo, mas nem tudo que precisava, podia ou queria.

Os deputados paranaenses pediam proteção porque sabiam claramente que estavam ferrando o Paraná e seu povo. Como dizia o velho ditado: Quem não deve não teme. Deputados e governador temeram e usaram e abusaram da força bruta e do autoritarismo, tal qual os ditadores militares, porque como aqueles sabiam, estes sabem claramente que estão enganado os coitados que neles votaram.

Sim! os eleitores que votaram nos atuais mandatários são coitados no sentido original desta triste palavra, foram vítimas de um coito. Pensavam que seriam amados e acabaram estuprados.

Vão pagar mais caro por serviços de péssima qualidade tal qual ocorre com os paulistas. E depois, na maior safadeza, vão reclamar do Governo Federal e dos "corruptos" petistas, aliás, os únicos a votar a favor do Povo e do Estado do Paraná neste horrível 05/12.

Triste Paraná que tem 52% de seu eleitorado, a esta hora exultante com a acachapante vitória de seu pupilo, sem a menor percepção da besteira que fizeram em outubro de 2011. Mas logo, logo começarão a receber as contas, pagarão caro por isso...

O que é mais revoltante é que nós, os outros 48% do eleitorado, seremos obrigados a pagar pelo erro de outros e viver em um estado que nós não queríamos que fosse assim, jogado na privada. pisoteado e maltratado por aqueles que dele deveriam cuidar.

Onde será que está aquele povo orgulhoso e de brio que anos atrás impediu a privatização da Copel?

Onde será que foi parar?

Onde???
Enviada por ParanaBlogs, às 00:35 06/12/2011, de Curitiba, PR


Direita paranaense mostra o dentes e chama a polícia para reprimir quem defende o Estado do PR
A direita paranaense comandada por Beto Richa e seus aliados tucano-privatizantes chamaram reforços policiais para desmobilizar o povo que está na região da Assembleia Legislativa do Paraná e em suas dependências.

Policiais lançam bombas contra manifestantes que se encontram na praça Nossa Senhora da Salete.

- Estrondo foi ouvido há pouco no Centro Cívico... alguém do lado de fora tem mais informações??? pergunta Thea Tavares que está dentro da Assembleia Legislativa do PR.

- Bomba de gás para dispersar manifestação legítima do povo, responde Edison Romonatto.

Eis o diálogo sobre a "democracia" dos tucanos e seus orgãos repressivos. com o moderninho Beto Richa voltamos a ditadura militar.

Onde estarão agora os eleitores de Beto Richa e seus aliados? Onde? Escondidos em seus palácios? ou se divertindo às custas do povo que eles tanto ignoram e odeiam?

Essa gentalha viva a reclamar do jeitão de Roberto Requião. Diziam que o ex-governador falava grosso, intimava, era bruto e atrasado. Porém, Requião em 8 anos de mandato nunca usou a polícia militar contra as manifestações populares. Parabéns a ele por isso!

Já os tucanos tem um longo histórico de uso da Polícia Militar como força de repressão pública em lugar do papel constitucional de força de segurança pública. Ora com cavalos, ora com bombas, esta é a tradição tucana.

Com o "atrasado" e "bruto" Requião passamos 8 anos com a PM cumprindo suas funções constitucionais e republicanas. Com 11 meses do bunitin e modernin Beto Richa a PM é usada contra a lei e a ordem, é usada como força repressora gerando mais insegurança no estado do PR. Com Beto Richa, o modernin e bunitin, voltamos aos obscuros anos da Ditadura Civil-Militar quando não se podia discortar dos mandatários de plantão.

É assim que os direitistas tucanos agradecem aos que os elegem. Com repressão, privatização e deterioração dos serviços públicos acompanhados do aumentos do impostos e taxas.

"Você pagou com traição a quem sempre te deu a mão" - cantam os manifestantes aos deputados na ALEP-PR neste momento.

Enquanto isso, trolls tucanos estão na rede a denunciar o PT local por estar a financiar a "guerrilha" na ALEP-PR. Ora, pois, vejam só se não era exatamente isso o que diziam os milicos em 1960 para justificar a patifaria que fizeram dando o Golpe de Estado em 1964. Daqui a pouco vai ter troll tucano dizendo que todo mundo que está na ALEP-PR é comunista financiado por Moscou e comedor de criancinha.

Ora, por favor, senhores feudais do Paraná. Modernizem-se. A revolução burguesa aconteceu em 1789 e vocês ainda estão na idade média em pleno século XXI?

Em tempo: os manifestantes solicitam aos que puderem se dirigir a ALEP-PR que o façam o mais rápido possível para fortalecer a resistência dos verdadeiros paranaenses que não vendem nem privatizam seu estado.
Enviada por ParanaBlogs, às 21:17 05/12/2011, de Curitiba, PR


Manifestantes ocupam a ALEP contra a privatização via OS

Foto de Tarso Cabral Violin

Manifestantes ocuparam o plenário da ALEP - Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, na tarde desde segunda-feira, 05.12, em protesto à tentativa do governo do tucano Beto Richa privatizar serviços públicos essenciais através da contratação das chamadas OS - Organizações Sociais, uma invenção do tucanato durante o reinado do princípe dos sociólogos FHC para evitar o processo licitatório e fazer ações entre amigos, muito de acordo com o lema da prefeitura da capital que diz: "Em Curitiba, Tudo é para a família".

A TV Sinal encerrou transmissão da sessão e a votação do projeto que regulamenta as OSs pode sofrer novo adiamento.

Seguranças da Assembleia foram vistos dando choque elétricos nos estudantes que se manifestavam contra a aprovação do projeto das OSs.

O clima é tenso na ALEP e de longe nos faz lembrar dos gloriosos dias em que a sociedade paranaense se uniu e saiu às ruas contra a privatização da Copel.

* Com informações de Tarso C. Violin, Tadeu Veneri e Milton Alves, direto da ALEP
Enviada por Sérgio Bertoni, às 17:27 05/12/2011, de Curitiba, PR


Trabalhadores no serviço público de Curitiba realizam manifestação na Câmara Municipal
Trabalhadores Municipais de Curitiba se reuniram hoje na Câmara Municipal de Curitiba para protestar contra a política antissindical e divisionista operada pelo prefeito Luciano Ducci, do PSB, mas que de socialista nada tem.

Além de atacar abertamente a organização sindical, o SISMUC, limitando o número de sindicalistas liberados para a realização de seus mandatos, Ducci não quer manter a data-base, um direito garantido pela Constiuição Federal para trabalhadores no setor público quanto no privado e ainda tenta dividir os trabalhadores no setor da saúde.

Saúde na rua, prefeito a culpa é tua

Com esta palavra de ordem, técnicos em saúde, enfermeiros, biólogos, dentistas, médicos e outros Trabalhadores na Saúde Pública de Curitiba engrossavam o protesto dos Trabalhadores Municipais. Eles lutam pela jornada de 30 horas semanais e pela isonomia no tratamento dado a todos os Trabalhadores na saúde.

As gestões de Richa e seu aliado Ducci a frente da municipalidade curitibana sistematicamente buscam dividir os trabalhadores, aceitando negociar vantagens para determinadas categorias e negando-se a fazer para outras que trabalham nos mesmos locais de trabalho e lotados nas mesmas secretarias municipais.

Nos últimos dias além do envio de vários projetos que desrespeitam a Carta Magna do Brasil, os gestores municipais tem pressionado os trabalhadores e divulgado informações enganosas numa clara tentativa de esvaziar o movimento, criar conflito e piorar as condições de atendimento à população.

Tudo em nome da privatização

Essa "forçação de barra" tem tudo a ver com as piores práticas neoliberais adotadas pelo grupo demotucano e seus aliados curitibanos há décadas. Primeiro eles reduzem investimentos públicos, depois pioram as condições de trabalho nas repartições públicas gerando consequentemente pior atendimento ao cidadão e descontentamento da população. Paralelamente a isso, a imprensa comercial e patronal, de direita, dá ampla repercurssão a fatos insignificativos como se fosse algo generalizado, próprio de instituições públicas. Ato contínuo chama os "especialistas" de sempre para falar bem da iniciativa privada e da competência administrativa dos gestores capitalistas. Pronto! Está dada a senha para tentar convencer a população de que é preciso privatizar tudo mesmo, pois tudo que é do estado não presta.

Não por é por coincidência que no mesmo dia a Camara Municipal de Curitiba vota uma lei antissindical e a Assembleia legislativa do Paraná vota a lei das OS - que permitirá ao governador privatizar saúde e educação entre outros serviços típicos do Estado.

Tudo para a família

Beto Richa, governador, e Luciano Ducci, prefeito, são aliados de longa data de Jaime Lerner, o pivatizador mor que arruinou a economia paranaense em seus anos de reinado. Ainda faz parte da tchurma Cássio Taniguchi do qual Beto foi vice-prefeito, e hoje é Secretário de estado de Richa, depois de passar uma temporada no secretariado do governo do Distrito Federal encabeçado por José roberto Arruda, cassado pelo TRE do Distrito Federal.

Leia mais em:

Greve dos excluídos: secretaria mente para intimidar trabalhadores

Sindicato dos nutricionistas apoia luta dos excluídos

Prefeitura apresenta proposta para acabar com a data-base e direito à isonomia dos servidores

Enviada por Sérgio Bertoni, às 13:11 05/12/2011, de Curitiba, PR


Belo Monte: sociedade se mobiliza e internet democratiza acesso às informações
Enviada por Almir Américo, às 12:36 05/12/2011, de Moscou, Rússia


Curitibanos em luta contra política antissindical de sucessor e aliado de Richa
COMPANHEIR@S DE LUTA!

Segunda feira dia 05/12 será talvez o dia mais importante para nós trabalhadores que há muito lutamos por um serviço público de qualidade, pela valorização do servidor@, por uma administração justa e por leis que protejam nossos direitos.

Num fato inédito, considerado por muitos um suicídio político, o prefeito Ducci mandou sua base de apoio na câmara votar propostas que tiram de uma só vez nosso direito de livre organização sindical, nossa data base, nosso direito a isonomia nos vencimentos, nosso direito a reposição salarial.

É absurdamente cruel o desejo de presentear os servidores com tamanha caixa de maldades no último natal de sua gestão.

Não temos outro caminho senão sair as ruas, convocar nossos conhecidos neste final de semana e marchar para a Camara na segunda feira (05/12) as nove horas, horário em que começa a sessão extraordinária das macabras votações.

Conto com você e com nossa força.

Informe-se, dialogue com seus colegas e familiares, chame os aposentados, os vizinhos, os amigos e conhecidos: Vamos reagir!

Boa Luta e até a Vitória!
Enviada por Marilena Silva, às 23:34 03/12/2011, de Curitiba, PR


Informação, desinformação e contra-informação: Usina de Belo Monte!
Companheiros(as),

Abaixo o link para dois vídeos que valem muito a pena assistir.

No primeiro, atores e atrizes da globo fazem uma verdadeira campanha contra o desenvolvimento e soberania do Brasil, tentando desinformar sobre a construção da hidroelétrica de Belo Monte, no Pará.

No segundo, alunos da UNICAMP desmontam os argumentos mentirosos com dados e fatos.

Para comprender bem, é preciso assistir aos dois.

Vídeo Globo:

http://www.youtube.com/watch?v=t5uBXCAgenI

Vídeo estudantes UNICAMP:

http://www.youtube.com/watch?v=gVC_Y9drhGo
Enviada por Ubirajara Freitas, às 23:22 03/12/2011, de Belo Horizonte, MG


>>
Próximos eventos

Clique aqui para ver mais notícias.